Traduzido e adaptado por Alisson, PR7GA

Na Sexta-feira Santa de 1974, membros de um grupo guerrilheiro marxista argentino invadiram a casa de um radioamador americano e DXer residente em Córdoba, Argentina, em uma tentativa de sequestrá-lo e mantê-lo como refém. Alfred Laun, um oficial da Agência de Informações dos EUA (USIA), foi baleado e gravemente ferido ao resistir ao sequestro. Todo o episódio, aliado ao fato de que ele possuía uma grande quantidade de transceptores em sua residência, levantou suspeitas de que o oficial fosse um agente da CIA. 

Uma série de telegramas secretos da época que agora se encontram disponíveis publicamente no Arquivo Nacional em Washington DC mostra como as autoridades argentinas em Buenos Aires e americanas em Washington, incluindo o secretário de Estado dos EUA, Henry Kissinger, se esforçaram para minimizar as especulações de espionagem.

Terreno perigoso


No início dos anos 1970, com a escalada da violência causada por uma economia mal administrada, inflação crescente e a polarização política, a Argentina estava amargamente dividida. Militantes de esquerda e direita se atacavam mutuamente, e grupos guerrilheiros de esquerda, como os Montoneros e o Exército Popular Revolucionário (ERP), desencadearam uma onda de terror com uma série de assassinatos, sequestros e atentados em todo o país.  



Neste período, os diplomatas e empresários estrangeiros eram alvos preferidos. Em dezembro de 1973, o ERP sequestrou o executivo da Exxon, Victor Samuelson, só libertando-o após o pagamento de um resgate de US$ 14,2 milhões mais de quatro meses depois. 

Semanas antes de Samuelson ser libertado, na manhã da Sexta-Feira Santa de 12 de abril de 1974, nove homens e uma mulher fortemente armados invadiram a casa de Alfred Laun, de 36 anos, em Córdoba. Ele era um oficial da USIA de Wisconsin que havia servido na República Dominicana. República, Vietnã e Tailândia antes de vir para a Argentina. Laun tentou resistir a seus sequestradores e foi baleado no abdômen. A bala entrou pelo estômago e saiu pelas costas, quase atingindo sua coluna vertebral.

Um guerrilheiro do ERP, aparentemente um médico, o operou em um esconderijo e, cerca de 14 horas depois, ele foi abandonado nos arredores de Córdoba, onde a polícia o encontrou vivo. Os bandidos o deixaram enrolado em um cobertor e ligado a um soro, segundo relato publicado pelo jornal espanhol ABC. Ele disse às autoridades que havia recebido uma substância alucinógena. 

Quando a notícia do sequestro chegou a Washington, o secretário de Estado Henry Kissinger tentou rapidamente minimizar os rumores começavam a aparecer. Por conta dos equipamentos de rádio encontrados em sua casa, Laun certamente seria rotulado de agente da CIA, escreveu Kissinger em correspondência secreta datada do mesmo dia do sequestro. Por conta disso, orientou aos seus diplomatas que negassem essa informação.

“Ressaltamos que ele é radioamador há muitos anos, o que explica seu equipamento de rádio. Seria útil se a embaixada pudesse confirmar que Laun está registrado e/ou licenciado na Argentina como radioamador. Ele pertencia a um clube de rádio HAM argentino?” arrematou Kisinger.


Perguntas se acumulam


No dia seguinte, Kissinger escreveu que, embora a reação lógica fosse lamentar publicamente esta ação bárbara, ele acreditava que seria melhor ser cauteloso. "Devemos ter em mente a possibilidade de que tal denúncia pública neste momento possa complicar os esforços para garantir a libertação de Samuelson (Exxon) e levar o ERP a iniciativas adicionais”, afirmou. Porém, o desejo de Kissinger de que a publicidade desaparecesse não se tornou realidade. 



Pedro Massa, correspondente em Buenos Aires do diário conservador madrileno ABC, escreveu em 16 de abril: “[Laun] é um radioamador e tinha em sua casa equipamentos de rádio top de linha, os quais lhe permitiam cobrir o mundo inteiro. O ERP acertou em cheio quando sequestraram Laun.”

Em 17 de abril, Laun foi secretamente transportado de avião da Argentina para o Panamá, onde foi hospitalizado e interrogado. Enquanto Laun se recuperava, congressistas argentinos exigiram uma investigação para apurar o por que de Laun ter tantos equipamentos de rádio. O bloco comunista apresentou uma resolução expressando sérias preocupações com a “descoberta de um poderoso transmissor de rádio instalado em sua casa” e pediu ao governo argentino que proíba os diplomatas estrangeiros residentes na Argentina “de utilizarem rádios de ondas curtas e rádios telefônicos”.

A Embaixada dos Estados Unidos em Buenos Aires, telegrafando a Kissinger, disse os equipamentos de rádio encontrados levaram até aqueles simpatizantes dos norteamericanos a duvidar. O jornal Mayoria, por exemplo, publicou um artigo em 22 de abril no qual dava a entender que Laun poderia estar fazendo mais do que um trabalho cultural/informativo em Córdoba. Até mesmo alguns jornalistas dos EUA suspeitavam que algo mais deveria estar acontecendo.

Antes de libertá-lo, o ERP disse que planejava julgar Laun em um “tribunal do povo” sob a acusação de pertencer à CIA, alegando que ele desempenhou “um papel importante” na derrubada do presidente marxista Salvador Allende em setembro anterior “ajudando os militares chilenos de direita em suas comunicações”, informou a Associated Press.


Alfred Laun na época do sequestro, em foto publicada em jornais da época.


Não se sabia exatamente que tipo de equipamento Laun tinha em sua estação - nem o relatório oficial nem a marca do transceptor que o ERP roubou foram divulgados - mas as autoridades americanas rapidamente mostraram que Laun fazia parte de um clube de radioamadores local. 

Após este e outros sequestros semelhantes, o governo dos Estados Unidos discretamente começou a realocar pessoal não essencial e a remover suas famílias da Argentina.


Em busca dos sequestradores


Em 23 de abril, a Embaixada dos Estados Unidos em Buenos Aires citou uma reportagem da AP que afirmava que a polícia argentina havia prendido Ana María Liendo, suspeita de ser membro do ERP, e que a mesma tinha ligação com o sequestro. Não está claro se as autoridades libertaram Liendo ou se ela escapou algum tempo depois. Mais tarde, seu nome apareceu entre os 100 guerrilheiros que morreram durante um confronto armado entre o ERP e militares em 23 de dezembro de 1975 em Monte Chingolo, ao sul de Buenos Aires. Liendo tinha 25 anos.

Também não está claro se algum dos outros sequestradores já foi identificado. Charles Russell, analista do Departamento de Defesa dos EUA, escreveu em um artigo de 1976 intitulado "Transnational Terrorism" que um membro do grupo terrorista basco ETA, que treinou e operou com o ERP, possivelmente esteve envolvido no sequestro de Laun antes de retornar à Espanha.

Em uma entrevista de 9 de novembro de 2003 para o jornal La Capital , de Rosario, Argentina, o fundador da ERP, Enrique Gorriarán Merlo, admitiu que “esteve diretamente envolvido” no sequestro de Laun.

Ele explicou que o ERP decidiu libertá-lo imediatamente porque a vítima havia sido ferida e o movimento não queria nenhuma outra morte de refém em suas mãos. 

Gorriarán Merlo foi uma figura controversa que supostamente teria liderado os mercenários que assassinaram o presidente deposto da Nicarágua, Anastasio Somoza, em Assunção, Paraguai, em 1980. Ele e outros guerrilheiros escaparam da prisão em 1971 e passaram a viajar por toda a América Latina, chegando a lutar do lado sandinista durante a Guerra Civil da Nicarágua. Enquanto vivia no México, ele foi deportado e preso pela Argentina em maio de 1995. Sete anos depois, foi perdoado pelo então presidente argentino Eduardo Duhalde. Gorriarán Merlo morreu de ataque cardíaco em 2006, aos 64 anos.

Laun sobreviveu à sua provação e passou a servir em outras missões diplomáticas dos EUA antes de se aposentar. Na Nicarágua, ele foi o porta-voz da Embaixada dos Estados Unidos durante o auge do envolvimento dos Estados Unidos com os rebeldes Contra, e suas atividades no rádio novamente despertaram suspeitas enquanto ele estava em Manágua. 

Em 20 de agosto de 1987, o Sindicato dos Jornalistas da Nicarágua (UPN) acusou Laun de tentar organizar o apoio a emissoras anti-sandinistas, “ao contrário de seu status diplomático”, enquanto participava de um encontro de radioamadores nicaraguenses. Especificamente, a presidente da UPN, Lily Soto, disse que Laun pediu ao jornalista de rádio hondurenho e apresentador da Voz da América, Conrado Godoy, que conseguisse reunir emissoras nicaraguenses para retransmitirem a Rádio Impacto, uma rádio de ondas curtas com sede na Costa Rica que irradiava apoio ao movimento Contra.


O OUTRO LADO


Infelizmente Laun não respondeu às tentativas de ouvi-lo para conhecermos seu lado nesta história à época em que este artigo foi escrito, em março de 2010.

Porém, em 12 de setembro de 2000, ele deixou uma mensagem de condolências numa página em memória de Pero Simundza, 9A4SP, um radioamador de 29 anos que trabalhava para o ACNUR (Alto-comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) que foi morto dias antes com outros dois colegas em Timor Leste quando seu escritório foi emboscado por milícias. 

Ele escreveu: “O radioamadorismo é um hobby maravilhoso, mas pode ser perigoso porque as pessoas o interpretam mal. Eu mesmo fui sequestrado e baleado na Argentina, mas felizmente vivi para contar a história”.


FALECIMENTO



Infelizmente, Alfred (Fred) Laun, K3ZO, faleceu em 03 de janeiro de 2023. Além de protagonista da história relatada acima, ele foi um conhecido DXer, ativando inúmeras entidades DXCC durante seu trabalho para o governo dos EUA, além de assíduo e exímio participante de contestes. 

Também foi diretor da The Yasme Foundation, uma organização promove e dá visibilidade a conquistas feitas por radioamadores. "O serviço de Fred para Yasme e outras organizações amadoras, ao longo de décadas, foi insuperável, assim como suas contribuições para o radioamadorismo, pelo qual ele se importava profundamente", disse o presidente da Yasme Foundation, Ward Silver, N0AX, em um comunicado à imprensa. "Conhecido e respeitado em todo o mundo, sabemos que os muitos amigos de Fred em todo o mundo honrarão sua memória, dentro e fora do ar.". 

Veja uma página em sua homenagem em http://hamgallery.com/Tribute/K3ZO/ e uma entrevista dada por ele em https://ncjweb.com/features/sepoct15feat.pdf

Fred Laun, K3ZO, sk.



Fonte: http://shortwavescatter.blogspot.com/2010/03/radio-hobbyist-or-cia-spy-1974.html


Receba em primeira mão as notícias publicadas no QTC da ECRA!

Se você usa Whatsapp, acesse ZAP.ECRA.CLUB
Se você usa Telegram, acesse TELEGRAM.ECRA.CLUB
Ou siga o QTC da ECRA no Twitter: TWITTER.COM/QTCECRA

1 Comentários

  1. R I P K3ZO, colega assíduo em todos os contestes que partipei, me deu muitos pontos por sinal.
    Muito bacana a reportagem, quem sabe consigam fazer uma apenas focado no trabalho dele como RA, ele por certo merece.
    73 DX PY2RX CARLOS SP

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

SIGA O QTC DA ECRA NO INSTAGRAM!