Dois satélites de radioamador lançados em órbita lunar

No último domingo, 20 de maio, foram lançados com sucesso mais dois satélites de radioamador. O DSLWP  (Discovering the Sky at Longest Wavelengths Pathfinder) é uma missão orbital lunar conduzida pelo Instituto de Tecnologia Harbin, localizado na China para radioastronomia em baixa frequência, além de radioamadorismo e educação. Consiste em dois microssatélites pesando cada um 47Kg que foram lançados “de carona” junto com o satélite Queqiao. Este satélite faz parte da missão chinesa de exploração do lado oculto da lua, que foi bastante noticiada nos últimos dias. Em cada microsatélite existem dois transceptores SDR nas bandas de VHF e UHF que irão enviar imagens, além de transmissões piloto (beacon), telemetria, telecomando, e um repetidor de dados no formato JT4. A potência de saída é da ordem de 2 watts.

Para alegria e orgulho da comunidade radioamadorística especialmente do Brasil, após o lançamento, o primeiro relato de recepção dos sinais da missão foram confirmados por um radioamador brasileiro, o PY2SDR, Edson Pereira, o que mostra o grande empenho deste colega na área de pesquisa e investigação científica, que é uma das principais, senão a maior razão de ser do radioamadorismo. Após o brasileiro, muitíssimas outras estações conseguiram captar os sinais da missão ao redor do mundo.

O Satélite A transmitirá dados nas frequências de 435.425 e 436.425 MHz. Já o satélite B transmitirá também dados em 435.400 e 436.400 MHz. Cada transmissão durará 16 segundos e serão repetidas a cada 5 minutos.

A organização da missão e o clube de radioamadores local espera e estimula a participação de toda a comunidade de radioamadores do mundo nesta missão. Eles irão preparar cartões QSL para as várias fases da missão para todos aqueles que realizarem QSOs ou receberem dados enviados pelos satélites. Além dos cartões QSL, serão dados prêmios para os 10 primeiros que conseguirem receber dados, isso para cada continente. A participação dos radioamadores também ajudará a equipe a saber com maior precisão o estado operacional dos satélites.

Fonte: https://amsat-uk.org/ Traduzido e adaptado por PR7GA

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

SIGA O QTC DA ECRA NO INSTAGRAM!