Por Alisson, PR7GA

Recebemos do colega Paulo Leite, PV8DX, a excelente notícia que dois projetos do estado de Roraima criados para a Olimpíada Brasileira de Satélites, a OBSAT, foram aprovados na primeira fase de seleção. Trata-se dos projetos "PROED CUBESAT" e "Moxie", ambos desenvolvidos na Escola Estadual Gonçalves Dias, de Boa Vista/RR, escola que já figurou matérias aqui no QTC da ECRA envolvendo radioamadorismo na escola e satélites:


Membros da equipe MOXIE e PROED CUBESAT da Escola Gonçalves Dias. Cortesia LABRE-RR

Assim como as demais equipes classificadas, cada um receberá um "kit" oficial gratuitamente para construção, testes, desenvolvimento e um futuro lançamento. Sim! Segundo a organização, está previsto um lançamento real!

Segundo a página da LABRE-RR, que também é parceira na iniciativa, serão utilizados conhecimentos interdisciplinares nas áreas de Geografia e Física, sendo os alunos orientados pelos professores Zilmarinho Brasil de Almeida, Dulce Andréa Uchôa de Oliveira e pelo Orientador de Tecnologia Paulo Costa Leite, PV8DX. O Paulo, além da experiência na área de satélites, dará o suporte necessário no que diz respeito a utilização de frequências destinadas ao serviço de radioamador, sendo o responsável pela estação de transmissão e recepção de dados da missão. 

Na página da LABRE-RR podem ser encontradas outras informações, incluindo vídeos com os organizadores da Olimpíada saudando os radioamadores que estão dando suporte aos projetos.

OUTRAS EQUIPES


Minuano-SAT (UNIPAMPA)

Além das duas equipes de Roraima, temos conhecimento de outra equipe que já está sendo assessorada por radioamadores ou é composta por radioamadores: A equipe Minuano-SAT, composta por alunos e professores da Universidade Federal do Pampa. Eles estão sendo acompanhados pela LABRE/AMSAT-BR


Membros da equipe Minuano-SAT. 

Além deste projeto específico, na referida Universidade já funciona há algum tempo um Clube do Radio, composto por radioamadores licenciados e que já desenvolveu projetos aliando o radioamadorismo ao ambiente acadêmico. Veja aqui mais informações sobre o Clube do Rádio da UNIPAMPA.

Guardiões do Mar e Lagarsat (IFF - Campus Macaé)

Após a divulgação desta matéria, recebemos notícia que o Campus Macaé, do Instituto Federal Fluminense, também conta com projetos classificados na OBSAT e auxiliados por radioamadores. Segundo a notícia divulgada em seu site oficial, "estudantes do Campus Macaé estão participando (...) com equipes de nível 2 (Ensino Médio) e 3 (Graduação). A equipe de nível 2 “Guardiões do Mar” é composta por Mylena Bento, Sanny Alcântara, Bruno Pereira e José Henrique Ferreira. A equipe “Lagarsat” é formada pelos estudantes da graduação Caio de Paula, Gabriel Souza, Suellen Siberlick e Thiago Alves."

Equipe Lagarsat (graduação)

Equipe Guardiões do Mar (Ensino Médio)



Ambas as equipes estão sendo orientadas pelos professores Eduardo Beline PY1EB e  Sandro Ribeiro PY1SAN.


ATENÇÃO! Se você está lendo este texto e conhece outros projetos classificados da OBSAT que tenham a ajuda ou a participação de radioamadores, entre em contato com o QTC da ECRA para incluirmos aqui. Mande um email para qtcecra@gmail.com.

A OBSAT é uma excelente oportunidade para cooperação entre o radioamadorismo e a ciência, já que os projetos da Olimpíada fatalmente utilizarão nossas faixas para a comunicação com o solo. Sabemos que no Brasil há diversos colegas que gostam de operar e têm experiência com satélites. Ao mesmo tempo, também sabemos que a operação satelital pelos radioamadores não é muito conhecida do grande público. Que tal se esses colegas "sateliteiros" pudessem oferecer algum auxílio a estas equipes?

A lista com as equipes habilitadas pode ser encontrada aqui, separada por estado e escolaridade.

A OBSAT


Segundo o site do projeto dentro do MCTI, a "Olimpíada Brasileira de Satélites MCTI é uma Olimpíada Científica de abrangência nacional, concebida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, e organizada pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) em conjunto com a Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE/MCTI) e a Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), da Universidade de São Paulo (USP)."

Ainda segundo a página oficial, a OBSAT "tem por objetivo promover experiências teóricas e práticas em projetos de satélites de pequeno porte, difundindo a cultura aeroespacial para estudantes e professores de instituições de ensino de nível médio, técnico profissionalizante, e universitários. A OBSAT é gratuita para qualquer aluno matriculado em instituições brasileiras de ensino fundamental, médio, técnico ou superior. Como objeto de trabalho, e ao mesmo tempo ferramenta de aprendizado, utilizam-se pequenos satélites, chamados de CanSats, TubeSats, PocketSats ou CubeSats."


Receba em primeira mão as notícias publicadas no QTC da ECRA!

Se você usa Whatsapp, acesse ZAP.ECRA.CLUB
Se você usa Telegram, acesse TELEGRAM.ECRA.CLUB
Ou siga o QTC da ECRA no Twitter: TWITTER.COM/QTCECRA

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Siga o QTC da ECRA no Instagram

Clique aqui para seguir o QTC da ECRA no Instagram