Traduzido por Ramiro Carvalho – PR7TU

 

Eu tenho ouvido que o radioamadorismo está morrendo desde que eu me entendo por gente. É um daqueles ditados comuns que você sempre ouve. Tipo, “bom era no meu tempo” e “ah, os jovens de hoje em dia...”. Mas isso é verdade? Existe alguma evidência para apoiar isso? Vamos olhar mais de perto.

Licenças de radioamador estão aumentando


Dados da ARRL mostram que o número de radioamadores licenciados está aumentando. Quando vemos o gráfico acima, identificamos dois fatos significativos que provavelmente estão impulsionando esse crescimento.

  • A remoção do requisito do código Morse pela FCC.
  • O colapso econômico de 2008.

O requisito do código Morse sempre foi uma parte intimidante na obtenção de uma licença da FCC. Aprender código Morse é como aprender uma segunda língua. Leva tempo e esforço para aprender, e isso não é algo ruim. No entanto, isso tem afastado as pessoas do hobby. Quando a FCC removeu esse requisito em 2007, acredito que abriu a porta para muitos que passaram anos em cima do muro. 

Então veio a crise econômica de 2008. O que isso tem a ver com o radioamadorismo? Muito.

Após a crise econômica, os Estados Unidos assistiram à entrada da cultura dominante do sobrevivencialismo, agora comumente chamada de “preparação”. As pessoas estavam preocupadas porque o país estava envolvido em várias guerras e nossa economia estava à beira do colapso. Os cidadãos estocaram alimentos, água, armas de fogo e... equipamentos de comunicação. À medida que nosso país entrava em uma espiral cada vez mais turbulenta, as licenças de radioamadorismo aumentavam continuamente para mais de 750.000 no final de 2019.


O radioamadorismo é um hobby ou um serviço público?


O debate entre o radioamadorismo ser um serviço público ou apenas um hobby é um debate comum. A razão pela qual existimos é, em última análise, ter cidadãos treinados que possam responder a desastres naturais. Este sempre será uma parte importante em nosso hobby, mas este tópico está se fundindo cada vez mais com funções digitais, incluindo a Internet. E é aí que algumas pessoas ficam de mau humor.

FT8/JS8CALL


FT8/JS8Call atraiu a ira de operadores mais antigos que acham que este modo não é "radioamadorismo de verdade", sem considerar que essa tecnologia pode ser de grande utilidade em situações de emergência como meio de repassar informações quando as condições são desfavoráveis em partes remotas do mundo.


RÁDIO DIGITAL MÓVEL (DIGITAL MOBILE RADIO - DMR)


O rádio móvel digital explodiu em crescimento na última década. Muitos radioamadores usam hotspots conectados à Internet para operar a partir de suas estações sem precisar de repetidores locais. Mesmo assim, esses repetidores conectados à Internet são bem úteis, sendo seu maior atrativo a capacidade de ter dois slots simultâneos para tráfego de voz em um mesmo repetidor, tendo ou não uma conexão com a Internet. DMR não precisa ter um backbone de Internet para ser útil em comunicações de emergência.

O radioamadorismo sempre será um hobby onde os envolvidos estão prontos para ajudar em caso de necessidade, quer participem de grupos de apoio em emergência ou não. E os operadores mais jovens estão mudando a forma como esse apoio é feito com as novas tecnologias digitais - e isso é ótimo!

As novas gerações não estão matando o radioamadorismo... eles são o futuro


Alguns radioamadores acreditam que os operadores mais jovens estão “matando” o hobby. Essas opiniões frequentemente desdenhosas e vis não são boas para o futuro do radioamadorismo. A integração de novas tecnologias como VOIP e microcomputadores no radioamadorismo significa usar os recursos disponíveis para se comunicar e trocar informações com outras pessoas ao redor do mundo. Quem se importa como isso é feito?

ENVOLVENDO CRIANÇAS PEQUENAS NO RADIOAMADORISMO


Devemos fazer com que as crianças se interessem pelo hobby. Hoje, as crianças não ficam impressionadas com a capacidade de falar com o mundo com 100 watts e um pedaço de fio. Eles simplesmente não estão nem aí. Como podemos fazer com que os jovens se interessem pelo hobby quando eles vivem num mundo digital, onde podem se comunicar com qualquer lugar do mundo com o toque de um botão? A ARRL não fez um bom trabalho em atrair jovens - mas há coisas que podemos fazer!

APROVEITE A PRÓXIMA GERAÇÃO DA EXPLORAÇÃO ESPACIAL


Os Estados Unidos estão embarcando na próxima geração da exploração espacial. Empresas como a SpaceX e a Blue Origin estão tornando o espaço e a engenharia interessantes de novo, e o radioamador poderia facilmente aproveitar essa onda. Deveríamos direcionar as crianças interessadas em ciência, tecnologia, engenharia e matemática e educá-las por meio da AMSAT e no potencial de comunicação com a Estação Espacial Internacional (ISS). Usar a exploração espacial como um incentivo para ser radioamador seria um ponto de entrada fantástico para geeks do espaço em todos os lugares.

USE ESTAÇÕES REMOTAS DE HF E SWL PARA DESPERTAR O INTERESSE


Para jovens radioamadores licenciados, uma dica é o site Remote Ham Radio como um exemplo brilhante de como fazer com que os jovens se interessem em ir mais a fundo no radioamadorismo. Eles oferecem um programa onde esses jovens podem ganhar a oportunidade de operar em estações de DX superpoderosas. Os candidatos devem atender aos seguintes critérios:

  • Ter 25 anos ou menos
  • Ter uma classe geral ou licença superior
  • Ser um membro da ARRL
  • Ter interesse ou experiência em DXing / Contesting
  • Explicar porque o RHR seria uma boa opção para você

Parabéns ao Remote Ham Radio por oferecer este programa aos jovens radioamadores!

POTA/SOTA COMBINA RÁDIO AMADOR E AVENTURA AO AR LIVRE


Morando no Colorado, comecei a gostar do Summits On The Air (SOTA) rapidamente. É muito bom. Você pode se exercitar ao ar livre ao mesmo tempo que pratica o radioamadorismo. Podemos usar essas operações portáteis ao ar livre para atrair jovens radioamadores que amam o contato com a natureza. Já para quem é veterano nestas atividades ao ar livre, um ponto atrativo é ser capaz de se comunicar de um lugar remoto, onde os sinais de telefone celular não existem.

O radioamadorismo evoluiu, embora bem lentamente em comparação com outros setores de tecnologia. Essa evolução é inevitável. Não podemos lutar contra isso. Não devemos lutar contra isso. Precisamos encontrar maneiras de incentivar novas formas de comunicação. E tudo começa com jovens radioamadores trazendo novas ideias e habilidades para o nosso hobby.

Não vamos lutar contra isso. Vamos abraçar isso.


Postado em 27 de agosto de 2020 por K0LWC

Fonte: http://k0lwc.com/ham-radio-is-dying-no-its-not-its-evolving/

Tradução livre e adaptações: Ramiro Carvalho – PR7TU






Receba em primeira mão as notícias publicadas no QTC da ECRA!

Se você usa Whatsapp, acesse ZAP.ECRA.CLUB
Se você usa Telegram, acesse TELEGRAM.ECRA.CLUB
Ou siga o QTC da ECRA no Twitter: TWITTER.COM/QTCECRA

1 Comentários

  1. Radio amador em HF é sempre uma mão dupla. Tem um que da tx e tem um que recebe. Reclamam de propagaçao. Mas nao é esse o problema. Se vc tem um qrm de 2 em 80 metros vc fala com todo mundo porque ESCUTA todo mundo. O que tem atrapalhado nao é propagaçao, e sim o QRM de lampadas leds, fontes, etc.. Eu falo todo dia com estaçoes móveis em 80 metros pq moro numa area rural.. Entao lembre se: a comunicaçao envolve 2 lados se vc tem 9+20 de qrm e um linear de 2 kw nao vai falar com ninguem, a menos que o outro lado tenha pelo menos 2 kw.. Mas se vc tem 2 de qrm o outro lado movel com 100 watts será ouvido e o qso desenvolve. Portanto o foco hoje tem que ser na recepção de qualidade.. Algo dificil dentro de uma cidade grande.. Ja pensou nisso??

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem