Editorial por Alisson, PR7GA

Como não poderia deixar de ser, o radioamadorismo não está livre das chamadas "fake news". Em todo lugar existem pessoas desocupadas e inescrupulosas que se deliciam em espalhar inverdades. E enquanto que algumas notícias falsas causam apenas constrangimento após a verdade vir à tona, outras podem trazer resultados terríveis mesmo depois que tudo é esclarecido.

Infelizmente, o bandido que inventa algo indizível tal como uma falsa notícia de falecimento se utiliza da boa fé do radioamador que, pelo companheirismo peculiar de nossa classe, procura sempre tentar ajudar. O que antes da modernidade e seus perigos era considerado uma marca distintiva e admirável em nós, hoje é utilizada para a maldade.

Portanto, em dias onde a maldade do ser humano parece se manifestar em grau máximo, precisamos tomar precauções extras como radioamadores, tendo em vista especialmente a ética que devemos sempre procurar manter. Trago a seguir algumas orientações que julgo úteis para tentar barrar a sanha dos que se utilizam da boa fé para espalhar a mentira e a maldade.

1. Ao receber alguma notícia, observe a priori se há no texto algum pedido do tipo "repasse a todos os seus contatos" ou "URGENTE! REPASSE SEM DÓ", especialmente se há palavras em MAIÚSCULAS, destacadas, ou que estejam chamando a atenção. Por experiência própria digo que isso é um sinal que pode indicar que a mensagem é falsa.

2. Leia o texto. Sério. Muita gente repassa sem ler. Observe se a notícia parece ser boa demais pra ser verdade, ou ao contrário, ruim demais. Se a notícia parecer ser oficial de alguma instituição, observe se há erros de português evidentes. Isso é mau sinal.

3. O mais importante: Não repasse até obter a confirmação de que é verdade com o interessado, caso seja notícia referente a alguma pessoa, ou da instituição, caso se refira a uma. Lembre-se que, do ponto de vista legal, quem repassa uma falsa notícia pode ser responsabilizado pelas suas consequências. E não adianta alegar que "não sabia" que era falsa!

4. Caso a notícia chegue acompanhada de uma foto, vídeo ou áudio, desconfie se na própria foto, vídeo ou áudio não haja a identificação do autor ou do local aonde aconteceu a notícia. Muitas falsas notícias são espalhadas tirando-se de contexto algo verdadeiro. Por exemplo, fotos verdadeiras de desastres acontecidos no passado são utilizadas por pessoas mal intencionadas para ilustrar falsas notícias no presente.

5. Lembre-se que a quantidade de pessoas que repassa uma notícia não atesta automaticamente que esta notícia seja verdadeira! Não é pela quantidade, mas sim pela qualidade que filtramos a verdade. Não é porque todos os seus amigos estão repassando algo que você deveria repassar também! Use o bom senso e a inteligência. Na dúvida, por menor que seja, não repasse.

6. No rádio, com exceção dos modos DV onde a "impressão digital" de cada um fica gravada, qualquer um pode se passar por qualquer um. Escondendo-se atrás de um indicativo inventado ou o de algum colega desconhecido e distante, alguns entram nas faixas para espalhar mentiras, como foi o caso que trouxe no início deste texto. Por isso, antes de repassar, caso não conheça quem está falando, educadamente peça mais informações sobre ele: onde mora, seu nome, etc, e principalmente onde conseguiu a informação. Muitos falsários gaguejam ao serem questionados, ou saem com evasivas.

7. Procure saber de colegas da região a respeito do suposto colega que espalhou a notícia e da veracidade da mesma. Os grupos de whatsapp são muito úteis para realizar isso. E não repasse a informação até confirmar!

8. Utilize fontes oficiais e/ou confiáveis para se manter informado. Tenha o hábito de acessar os links que confirmam as informações que chegam ao seu celular ou computador. Ou seja, cheque as fontes. Procurar manter-se em dia com os acontecimentos apenas lendo o que se recebe no whatsapp ou pelo facebook é loucura e ingenuidade.

9. Lembre-se que uma notícia falsa, quando espalhada, é extremamente difícil de ser corrigida e pode ter consequências trágicas. Uma falsa notícia de falecimento pode, sim, trazer uma piora de saúde ou até a morte para a pessoa envolvida. Não queira ser responsável pela morte ou pela doença de alguém. Seja prudente.

10. Por fim, caso constate que a informação é imprecisa ou falsa, espalhe a verdade! O próprio Cristo declarou que "nada podemos contra a verdade, mas somente a favor da verdade". 

Levemos a sério aquilo que repassamos, pois podemos ser propagadores de falsas notícias. Sejamos éticos e prudentes como radioamadores e sirvamos apenas à verdade, honrando nosso hobby e nossas licenças!

Viva o radioamadorismo!

Receba em primeira mão as notícias publicadas no QTC da ECRA!

Se você usa Whatsapp, acesse ZAP.ECRA.CLUB
Se você usa Telegram, acesse TELEGRAM.ECRA.CLUB
Ou siga o QTC da ECRA no Twitter: TWITTER.COM/QTCECRA

1 Comentários

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

SIGA O QTC DA ECRA NO INSTAGRAM!