Uma lição que os desastres naturais têm dado é a necessidade de estabelecer canais alternativos de comunicação quando os modos tradicionais se desintegram devido a estas catástrofes imprevisíveis. No momento em que os celulares e a internet param, o que resta como alternativa é o bom e velho rádio.

Resgate de vítimas da inundação na região de Kerala

Em Agosto, o mundo assistiu na região de Kerala, na Índia, ao que foi considerado pelas autoridades como a maior inundação do século. Milhares de pessoas ficaram desabrigadas e centenas morreram. Porém, o que poucos sabem é que os radioamadores indianos tiveram um papel fundamental para que a tragédia não fosse maior.

Na região atingida pelas enchentes, eles estiveram ajudando nas operações de resgate, localizando pessoas presas em suas casas e compartilhando informações com as autoridades. A maioria dos serviços de telecomunicações em Kerala continuam inoperantes. As contas variam, mas um número entre 120 e 300 radioamadores trabalharam 24 horas por dia, 7 dias por semana, para apoiar as operações de resgate oficiais.


Radioamadora indiana.

Kerala foi atingida pelas piores inundações e deslizamentos de terra em 100 anos. Seis distritos e áreas vizinhas ficaram submersas na água que transbordou dos rios próximos. Um milhão de pessoas estão em campos para refugiados e mais de 300 pessoas morreram. A energia e a comunicação móvel nas áreas afetadas são cortadas.

Radioamadores indianos reunidos no centro de controle

Diante disso, rapidamente os radioamadores locais se reuniram no Centro de Operações de Emergência do Distrito e montaram um centro de controle de comunicação de emergência para trabalhar com a Autoridade Distrital de Gerenciamento de Desastres para apoiar operações de resgate e socorro. Ajudados por outros radioamadores espalhados por todo o estado de Kerala, eles têm transmitido relatos de pessoas presas ou necessitadas de ajuda médica. Durante a fase crítica, eles relataram a localização e outros detalhes de mais de 15 mil vítimas que ficaram presas em telhados de casas e outros edifícios.

A ajuda dos radioamadores funcionou sem falhas durante 6 dias até o final das operações de busca e salvamento. O mais incrível, segundo as autoridades locais, foi que os radioamadores começaram a se mobilizar para ajudar sem que ninguém os convocasse. Começou com alguns poucos indivíduos reunidos em alguns distritos e mais tarde se tornou uma grande rede de solidariedade. No fim, esta ajuda resultou no resgate de milhares de pessoas. Em muitos casos, a primeira informação de que havia alguém necessitando de resgate foi transmitida por radioamadores, antes que qualquer outra agência o fizesse.


Fonte: http://www.arrl.org/news/kerala-india-flooding-radio-amateurs-assist-rescue-operations

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Siga o QTC da ECRA no Instagram

Clique aqui para seguir o QTC da ECRA no Instagram