Neste último domingo, 5 de agosto de 2018, Mark Turner, EI3KD, colega radioamador da Irlanda, conseguiu trabalhar a estação D4Z localizada nas ilhas de Cabo Verde ao largo da costa da África em 144 MHz, vencendo uma distância de cerca de 4163 km. Este QSO incrível, feito em CW, foi um novo recorde de contatos via propagação troposférica na Região 1 da IARU. O recorde anterior, de 4130 km, foi registrado em julho de 2015.

A linha verde ilustra a distância vencida neste QSO.



O contato foi feito em 144.300 MHz por volta das 18:26 UTC, quando a banda também estava aberta para as Ilhas Canárias a partir do sul da Irlanda e do Reino Unido.
Gráfico demonstrando as condições meteorológicas no domingo, 05/08/2018, indicando a possibilidade de formação de dutos. Quanto mais vermelho, mais probabilidade. Na parte superior e inferior, um "X" indica a localização das duas estações.

Na Irlanda, Mark EI3KD utilizou uma antena direcional de 11el em polarização horizontal, instalada a cerca de apenas 7m do chão, um pré-amplificador para RX, e 400W de potência de transmissão. 

Antena de 11 elementos utilizada por Mark no QSO com Cabo Verde. Note que foi utilizada polarização horizontal.


Apenas para uma ideia da incrível distância vencida neste recorde, se os mesmos 4163 km fossem medidos a oeste da localização da EI3KD, o sinal viajaria por todo o oceano atlântico e alcançaria o Canadá!

Sobre a propagação troposférica, vamos a algumas explicações rápidas. Normalmente, os contatos em VHF e UHF são feitos ponto a ponto, com os sinais captados numa linha reta entre as estações. Ao contrário da banda de HF, os sinais em VHF e UHF normalmente se perdem no espaço, e por isso os contatos ponto a ponto são os mais comuns. Porém, em algumas ocasiões, os sinais de VHF e UHF podem ser refletidos de volta à Terra quando ocorrem inversões térmicas na Troposfera.


Ilustração sobre a propagação nas bandas baixas durante o dia e à noite. Observe, à esquerda, que os sinais de VHF (acima de 30MHz normalmente não são refletidos de volta à Terra, como o são os sinais de HF.

Uma inversão de temperatura ocorre quando uma frente fria está se aproximando ou está sobre uma área de alta pressão. Nestas ocasiões, a temperatura do ar aumenta com a altitude, em vez de diminuir. Em tais circunstâncias, a camada superior de ar e a terra formam as paredes de um "duto" no qual as ondas de VHF são guiadas da mesma maneira que em uma guia de onda metálica. Nessas áreas, se a frente é suficientemente grande, vão ocorrer muitas oportunidades para contatos a longa distância, como foi o caso entre as estações da Irlanda e de Cabo Verde.

Como um duto é formado. Em azul uma camada de ar frio, e por cima deste, uma camada de ar quente. A rápida transição entre ar quente e frio produz a reflexão para as ondas de rádio em VHF e UHF.


Mas como essas estações souberam que as condições eram favoráveis, já que estes fenômenos não são facilmente previsíveis? Através do fantástico e silencioso trabalho realizado pelas estações BEACON, que são transmissores que operam em baixa potência e que transmitem 24h por dia. No início do dia 5 de agosto, o BEACON D4C, localizado em Cabo Verde e que transmite em 144.436 MHz foi captado às 08:37 UTC por estações receptoras na Irlanda do Norte e na Escócia, bem mais distantes que o colega na Irlanda. Detalhe: a estação em Cabo Verde estava operando com apenas 14w e antenas dipolo empilhadas...


Aspecto da estação de Cabo Verde

Alertado por estes “spots”, os colegas viram que o contato seria possível pois havia um “duto” entre suas estações, e assim conseguiram. Para demonstrar, Chris registrou em vídeo o contato e publicou no facebook. Assista logo abaixo:

2m Tropo QSO @D4Z (op. EA8FF) from loc HK76MU
2m Tropo QSO @D4Z (op. EA8FF) from loc HK76MU
Publicado por D4C VHF & UP em Domingo, 5 de agosto de 2018


Além do contato com o colega da Irlanda, a estação de Cabo Verde D4Z também trabalhou G7RAU e G4LOH no sudoeste da Inglaterra em 2m SSB. No Brasil, os recordes são entre estações do Rio/SP e Uruguai/Argentina.

Fontes:

http://www.astrosurf.com/luxorion/qsl-propa6.htm
https://www.radioamador.com/entendendo-sinais-fracos/

4 Comentários

  1. Belo trabalho de engenharia, paciencia e persistência . Retrata o verdadeiro espírito do radioamadorismo. Parabéns as duas estações.

    ResponderExcluir
  2. Para ilustrar um pouco mais, esta é a página de recordes brasileiros em VHF e UHF: http://www.vhfdx.org/recordes/brasil/recordes.htm
    Parabéns pela reportagem.

    ResponderExcluir
  3. Não vamos abandonar o nosso hobby.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

SIGA O QTC DA ECRA NO INSTAGRAM!