Por PY2ADN – Adinei Brochi

(Condensado por PR7GA – Alisson)






Aterramento de rede elétrica é uma coisa, aterramento de antena (aterramento de RF) é outra, aterramento de pára-raios é outra coisa completamente diferente, e nenhum dos três devem ser confundidos entre si!



Aterramento de rede elétrica



Significa a ligação do neutro da entrada de força a um sistema de aterramento para evitar choques e prevenir danos elétricos nos equipamentos, algo que já deve existir na entrada de eletricidade da residência. Alguns aparelhos eletrônicos também têm suas caixas metálicas ligadas a um fio verde para serem aterrados.



Aterramento de RF



Já o aterramento para RF é outra coisa. Em antenas longwire e verticais sem radiais para as faixas baixas de HF, como 160, 80 e 40 metros, este tipo de aterramento é muito importante, pois faz parte do sistema irradiante, sendo que essas antenas não funcionam sem um bom sistema de aterramento.

O aterramento de RF deve ser feito individualmente, ligando um condutor do chassi do equipamento até o ponto de aterramento. Você deve ligar todos os aparelhos num único ponto de aterramento.



Aterramento de pára-raios



Já o terceiro tipo (aterramento de pára-raios) é um sistema de proteção contra raios. Serve para “salvar tua vida” contra descargas elétricas da atmosfera (raios). Quando “cai um raio” a corrente “desce” pelos cabos de cobre do para raios e TAMBÉM pelo cabo coaxial da antena. Lembrando que um raio é uma descarga de altíssima energia, uma fração minúscula dela pode ser suficiente para queimar (literalmente) seu equipamento.



Muito pior: uma antena instalada em local errado (por exemplo: mais alta do que o pára-raios) pode vir a funcionar como se ela fosse o pára-raios!! Imagine o que acontece….



Recomendações



- A não ser que você resida numa área rural isolada e completamente desprotegida de pára-raios, jamais instale um, pois dificilmente você conseguirá montar um da forma correta com baixo custo (um pára-raios eficiente te custará milhares de dólares!)



- Jamais instale antenas verticais em posições muito altas (até mesmo porque dessa forma elas não terão grande eficiência, devido às perdas de atenuação pelo grande comprimento do cabo coaxial, em regra, 7 dB por 100 metros, no caso do KMP RG-58); da mesma forma, jamais as instale no topo de torres (se observarem as antenas de VHF da polícia e de órgãos governamentais, verão que sempre estão sempre abaixo do topo da torre. O motivo é óbvio: segurança!)



- Adquira o hábito de ao desligar o equipamento, desconectar o microfone e também o conector de antena. Desconectado da antena, o rádio não correrá riscos de ser danificado por um raio (a menos que você caia na besteira de transmitir durante tempestades!). Por que desconectar também o microfone? Para que por descuido você não corra o risco de transmitir sem antena. Simples, não?


PY2ADN – Adinei Brochi

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Siga o QTC da ECRA no Instagram

Clique aqui para seguir o QTC da ECRA no Instagram